Você é o VIP nº 1722848


Dicas do Angiologista

Por Dr. Pedro Pablo Komlós - Cirurgião Vascular - CREMERS 5660
e-mail: clinicappkomlos@terra.com.br

COMO TRATAR AS VARIZES

Sensação de cansaço, dores nas pernas, edema (inchume), presença de vari­zes ou micro-varizes aparentes, manchas, cãimbras e feridas (úlceras) que não cicatri­zam, são, invariavelmente, as queixas que levam o paciente a procurar um angiolo­gista. Varizes dos membros inferiores são veias dilatadas e tortuosas que se tornam visíveis ou palpáveis através da pele. Originam-se de veias pré-existentes, habitualmente inúteis e desnecessárias, que tornam-se contraproducentes e prejudiciais quando adoecem.

A parede das veias pode ser constitucionalmente fraca por razões hereditá­rias. Este defeito genético se acentua sob determinadas condições, entre as quais destacam-se fundamentalmente as alterações hormonais, como ciclos menstruais, gestações anticoncepcionais, menopausa, e também flebites, traumatismos, etc. A dilatação e, consequente­mente, a ramificação progressiva das varizes é que acaba por gerar dores e danos estéticos.

Embora as varizes não poupem aos homens, são as mulheres as mais atin­gidas estatisticamente pela doença. São elas também, por evidentes razões estéticas, as que mais frequentemente procuram o cirurgião vascular. Ao contrário do que muita gente pensa, sol, salto alto, depilação a cera quente, corrida, musculação  e qualquer outro   tipo de exer­cício, alimentação, fumo, cruzar as pernas, etc, são fatores praticamente desprezíveis no aparecimento de varizes.

As varizes essenciais primárias das pernas podem e devem sistematica­mente ser eliminadas, sem prejuízos ao organismo. Ao contrário, o seu tratamento ocasiona uma melhora das condições circulatórias venosas. E essas veias não fazem falta? Não! São inúteis e desnecessárias, à semelhança de outras estruturas como os pelos das pernas, a  barba, o apêndice, o dente do siso, timo, etc. Supõe-se que tenham perdido a função com a evolução milenar da espécie humana.

O tratamento das varizes é muito mais simples do que se costuma supor, e bem menos agressivo do que as consequências da doença. Ao tratar precocemente o pro­blema, o paciente se livra dos incômodos dolorosos e estéticos, evitando manchas, flebites e úlceras que acabam por comprometer os resultados. Portanto, o tratamento das varizes deve ser feito na sua fase inicial, para que se possa obter melhores resultados estéticos. As veias eliminadas não voltarão. Pode ocorrer, em alguns casos, que outras veias apareçam, de acordo com as características hereditárias do indivíduo.

DOIS MÉTODOS SÃO USADOS NO TRATAMENTO DAS VARIZES. A ESCOLHA VARIA FUNDAMENTALMENTE COM O TAMANHO E AS CARACTERÍSTICAS DAS VEIAS.

O primeiro método é a escleroterapia, ou injeções para "secar" varizes. Destina-se basicamente as veias de menor calibre, como as que assumem aspecto de teia de aranha. Continua sendo o método de escolha dos especialistas. É eficaz, seguro e permite obter resultados estéticos imediatos e gratificantes. É feito em consultório com o auxílio de equipamento totalmente descartável. Não há contra-indicações importantes e não se exige nenhuma forma de repouso, permitindo ao paciente, inclusive, tomar banho de sol. A única justificativa para a busca de métodos alternativos ainda não recomendados, como o raio laser, por exemplo, é o medo que algumas pessoas desenvolveram em relação às inje­ções.

O segundo método terapêutico é a cirurgia de varizes, que se destina às varizes de maior porte, que fazem saliência através da pele. A cirurgia de varizes é hoje um procedimento  essencialmente  simples,  realizada  a maior parte das vezes em caráter ambulatorial. Utiliza a anestesia peridural e não requer nenhum repouso pós-operatório, oferecendo um resultado estético plenamente satisfatório. A retirada das veias enfermas é feita com o auxílio de uma agulha de crochê convencional, introduzida através de peque nos orifícios, tão pequenos que não necessitam de sutura. O paciente submetido a uma cirurgia de varizes pode ser liberado depois de uma semana até para práticas esportivas. Resumindo, recomenda-se que as pessoas portadoras de varizes busquem o aconselhamento de um ci­rurgião vascular para definir qual o método terapêutico que deve ser usado, de acordo com as características da enfermidade. O tratamento adequado a cada caso, executado o mais cedo possível, oferecerá ao paciente os melhores resultados.

 

                                                                       DR. PEDRO PABLO KOMLÓS

                                   Clínica de Varizes Dr. Pedro Pablo Komlós - Cirurgia Vascular 

Novo Hamburgo/RS - Fone: (51) 3595-3939 e (51) 3586-2942

Porto Alegre/RS – Fone: (51) 3222-5065 e (51) 3222-1963


Foto: Divulgação

Foto: Divulgação
voltar ao topo